Arroz > História do arroz  
   
 
O arroz é uma das plantas consumidas há mais tempo sendo muito difícil determinar com exactidão a época em que se começou a cultivar (Maurici, 1999).
Actualmente existem duas espécies cultivadas de arroz: Oryza sativa L. (de origem asiática) e Oryza glaberrima Steur (de origem africana).
Há estudos genéticos que referem que foi o arroz selvagem (Oryza rufipogon) que deu origem ao arroz asiático que se julga ter surgido nos Himalaias originando, devido às diferenças climáticas, duas subespécies diferentes: Oryza sativa var. Indica do lado indiano e Oryza sativa var. Japonica do lado chinês.
O arroz africano é cultivado desde há 3500 anos, tendo-se propagado do seu centro original, o delta do rio Niger, até ao Senegal. No entanto, o seu cultivo nunca se afastou muito da zona original principalmente devido à introdução das espécies asiáticas, provavelmente levadas para África pelos Árabes entre os séculos VII e XI.
O cultivo de arroz na China começou há cerca de 7000 anos. Houve um período de cultivo de sequeiro (5000 a 4500 a.C.) no delta do rio Yangtze (cultura Hemudu) e cerca de 2500 a.C., na mesma zona, iniciou-se um período do cultivo alagado (cultura Liangzhu).
O arroz de sequeiro foi introduzido no Japão e na Coreia cerca de 1000 a.C.. A cultura alagada intensiva chegou à Coreia em 850-500 a.C. e ao Japão cerca do ano 300 a.C.
Na Europa o arroz somente foi conhecido depois da expedição de Alexandre Magno à Índia (Vianna e Silva, 1969). Os árabes trouxeram-no para a Península Ibérica na altura da sua conquista em 711. Em meados do século XV chegou à Itália e depois a França, propagando-se esta cultura pelo resto do mundo em virtude das conquistas europeias. Em 1694 chegou à Carolina do Sul e no início do século XVIII à América do Sul.
 
História do arroz em Portugal
No reinado de D. Dinis (1279-1325) que surgem as primeiras referências escritas à cultura do arroz que, nesses tempos, era apenas destinado à mesa dos ricos. Um forte incentivo à produção deste cereal foi dado no reinado de D. José (séc. XVIII), tendo sido para isso utilizados terrenos pantanosos, sob alagamento e principalmente nas regiões dos estuários dos principais rios. No entanto, as deficientes técnicas culturais, usadas naquele tempo, deram lugar a zonas de "águas paradas" propícias ao desenvolvimento de insectos, o que motivou uma forte contestação por parte da população que atribuía à cultura a responsabilidade de diversas doenças como o paludismo. A cultura chegou mesmo a ser proibida, no entanto, isso não se verificou na prática.
A expansão da cultura teve lugar por volta de 1909, após a elaboração das regras de preparação dos terrenos e de gestão da água (rega e drenagem). Foi nesta altura que se começaram a cultivar diferentes variedades de arroz.
Desde o início dos anos 20 que o arroz passou a ter um papel bastante importante na alimentação dos portugueses, principalmente no norte de Portugal, tendo-se importado durante esta década arroz proveniente do Oriente, Brasil e províncias do Ultramar. A necessidade de regulamentar a produção e importação deste cereal levou a que fosse criada a Comissão Reguladora do Comércio do Arroz, em 1933. A colheita de 1937 chegou mesmo a ultrapassar o consumo da população portuguesa.
O aumento da produtividade foi consequência dos trabalhos de melhoramento de variedades desenvolvidas pela Estação Agronómica Nacional desde 1941. Em 1952 atingiu-se a produção record de 150 000 toneladas de arroz.
Portugal produz hoje cerca de 160 000 toneladas de arroz por ano, provenientes das zonas do Vale do Mondego, do Vale do Tejo e Sorraia e do Vale do Sado, sendo o terceiro maior produtor europeu. Relativamente ao consumo, Portugal é mesmo o maior consumidor de arroz da Europa com cerca de 15 kg per capita/ano.
 
Referências bibliográficas
Brites, C. M., Guerreiro, M., Modesto, M. L. (2006). Arroz Carolino: uma jóia da nossa gastronomia. COTArroz.
Maurici, J. A. (1999). El arroz. Principales enfermedades, plagas e malas hierbas. BASF.
Vianna e Silva, M. (1969). Arroz. Fundação Calouste Gulbenkian.
 
     
 
10/27/2006